quarta-feira, 29 de setembro de 2010

É Siri, É Bebê, É Corda

Lá em casa mora um siri. Não fui eu que trouxe, não.
Ele veio me seguindo pela praia. Atravessou a rua, desviou dos carros. Eu só espiava. Ele vinha atrás.
O siri não tem cama. Dorme na tigela de comida do cachorro.
E o cachorro tem medo do siri porque já levou um beliscão no focinho.
Eu não sei o que o siri come, nem o que ele bebe.
Mas ele continua vivo e mora nessa casa faz tempo. Acho até que engordou.
Minha mãe também engordou.
Eu perguntei para minha mãe:
_O que tem aí dentro da sua barriga?
Ela respondeu com uma cara toda feliz:
_Um bebê. Seu irmão.
Eu fiquei lembrando do siri e fiz outra pergunta:
_Será que o siri também tem um bebê na barriga?
Minha mãe fez cara de quem não sabia o que dizer. Mas disse:
_Ah, siri não. Siri põe ovo.
_E você não põe?
_Claro que não!
_Você tem certeza que o bebê tá dentro da sua barriga, mãe?
_Tenho, filho.
_E por que você comeu ele?
Minha mãe deu uma gargalhada. Me abraçou bem comprido e disse que ia me explicar tudo, tintim por tintim, mais tarde.
Ela falou assim: tintim por tintim.
Então, eu me esqueci do siri, do bebê e só pensei: _Tintim é o barulho que os copos fazem quando os adultos batem um contra o outro em dia de festa! _Aí comecei a lembrar do meu aniversário...
Por que será que meu pensamento pensa desse jeito?
Quer dizer, por que ele fica pulando de uma idéia para outra sem parar?
Aliás, por falar em pular...
Alguém quer pular corda comigo?

Milu Leite

Nenhum comentário: