terça-feira, 1 de março de 2011

GRAFITE X PICHAÇÃO

“No Turbulento Mar de Todinho” – Fábio Cranio


Por Ana Lucchi

Grafiteiros são confundidos com pichadores.
Para muitos o grafite é apenas uma pichação evoluída, para outros uma modalidade de arte urbana.
Além dos muros, grafiteiros e pichadores aparecem na mídia impressa, falada e também ocupam seu espaço na internet; em blogs, sites de relacionamentos e portais, contudo, a exposição não tem ajudado muito a diminuir a confusão quando se fala de ambos.
A utilização de um muro ou qualquer espaço público, sem autorização é pichação. Seja numa demonstração mais elaborada ou simplesmente em frases muitas vezes incompreensíveis.
Para os pichadores, pichação também é arte, a escolha irreverente do local é apenas uma forma a mais de contestação. Quanto mais perigoso, quanto mais alto, quanto mais proibido melhor.
Pichação é escrever em muros, paredes e postes, através de palavras cifradas, que juntas formam um alfabeto excêntrico e pouco legível, em geral evidenciam habilidade em escrever esses símbolos, mas sem preocupação plástica e está associada a vandalismo e marginalidade, não há como negar.
A pichação também é utilizada para demarcação de territórios entre grupos.
Em geral, a convivência entre grafiteiros e pichadores é pacífica. Muitos grafiteiros foram pichadores no passado, e os pichadores não interferem sobre paredes grafitadas.
O grafite (do italiano graffiti, plural de graffito) é o nome dado às inscrições feitas em paredes. Considera-se grafite uma inscrição caligrafada ou um desenho pintado ou gravado sobre um suporte que não é normalmente previsto para esta finalidade – normalmente em espaço público.
O grafite traz suas raízes na Roma antiga, lá os cidadãos também escreviam em muros e nas suas próprias casas, tem seu caráter contestador e irreverente, mas baseia seus preceitos em desenhos e formas coloridos e elaboradas, também com intenções críticas, manifestam seu conteúdo artístico.
O grafite, assim como a pichação, reflete a realidade das ruas.
O grafite é uma forma de linguagem mais elaborada, feita, a maioria das vezes, durante o dia e com autorização. É feito em murais e paredes de grande metragem, levando a cor e a vida em diversos pontos da cidade, fazendo dela uma galeria de arte em céu aberto.
Os grafiteiros se respeitam entre si. Todos admiram a arte um do outro, sem essa de marcação de território. A paixão de pintar pela cidade é o que marca.


Curiosidades: 
  • Grafiteiro / writter: o artista que pinta.
  • Bite: imitar o estilo de outro grafiteiro.
  • Crew: é um conjunto de grafiteiros que se reúnem para pintar juntos.
  • Tag: é assinatura de grafiteiro.
  • Toy: é o grafiteiro iniciante.
  • Spot: lugar onde é praticada a arte do grafitismo.

Fontes: Wikipedia, Ramos, Célia Maria Antonacci. Grafite, pichação Cia. São Paulo: ANABLUME, 1994. Instituto Arte na Escola; Olhares sobre a arte pública – grafite x pichação: diferenças e semelhanças por Priscila Anversa.

Nenhum comentário: